0800 15 66 11 ou (11) 3649-4000 - Seg à Sex das 8:15 as 19:00 - Sábado das 09:00 as 15:00.
Seu portal de conteúdo especializado em ar-condicionado!
Nossas redes sociais:

4 mitos sobre o ar-condicionado em quartos de criança

Ar-condicionado em quartos de criança: Muitas pessoas pensam que o aparelho é prejudicial à saúde delas, mas isso não é verdade. Confira agora o por quê!

 

O verão ainda nem chegou e nós já estamos sentindo os efeitos das altas temperaturas: calor intenso, maior perda de líquido, entre outros fatores. A maioria das pessoas realmente sofre com o excesso de calor, e o grupo que mais sente toda essa mudança climática são os bebês e as crianças.

 

Ainda bem que existe o ar-condicionado para nos ajudar a suportar os dias mais quentes, não é? Graças a esses aparelhos, podemos proporcionar muito mais conforto a nós mesmos e também aos nossos pequenos.

Muitas pessoas pensam que ar-condicionado em quartos de criança é prejudicial à saúde delas, mas isso não é verdade. Os mitos que rondam esta questão são muitos, e pensando nisso resolvemos listar 4 deles e explicar porque não são verdades. Acompanhe:

 

1. O aparelho é muito barulhento para crianças

Muitos pais têm receio do ar-condicionado em quartos de criança e bebês devido ao ruído que ele pode provocar, atrapalhando o momento do sono.

Esse é mais um mito, pois atualmente não faltam opções de produtos que são praticamente silenciosos, como o ar-condicionado split, por exemplo. Assim, barulho não é desculpa para privar os pequenos desse conforto, que em nada atrapalha o sono da meninada.

 

2. Ar-condicionado diminui a qualidade do ar

Outra afirmação que não passa de um mito. O ar-condicionado, ao contrário do que vários consumidores pensam, não prejudica a qualidade do ar. Isso pode ser facilmente explicado pelo fato dos aparelhos possuírem filtros que contêm função antibactericida, e ainda evitam mofo.

Além disso, já existem inúmeros desses produtos no mercado que são muito eficientes na eliminação de vírus que causam doenças respiratórias, entre eles o da gripe H1N1.

Também é importante fazer uma limpeza periódica dos filtros para que seja mantida a eficácia do produto. Está vendo? O ar-condicionado em quartos de crianças e bebês só melhora a qualidade do ar.

 

3. Ar-condicionado causa infecções respiratórias

“A criança pegou um resfriado? Está gripada? A culpa é do ar-condicionado!”. Supondo que essa afirmação fosse verdadeira, você acha que algum órgão fiscalizador já não teria feito centenas de recomendações incentivando os pais a não deixarem os filhos expostos a tal “malefício”?

O ar-condicionado não prejudica a saúde dos pequenos. O que acontece é que ele pode vir a ressecar o ar e, como consequência disso, há o ressecamento do muco protetor das vias aéreas. Isso predispõe qualquer pessoa a infecções respiratórias.

Para evitar esse tipo de acontecimento, basta colocarmos um umidificador de ar no ambiente refrigerado. Assim, as crianças podem usufruir de um descanso com mais qualidade.

 

4. Ar-condicionado em quartos de criança é sinônimo de dor de garganta

Bem, na verdade não é bem assim que as coisas funcionam. Muitas crianças realmente reclamam de dor de garganta após algum período expostas em locais com o aparelho, mas o que acontece nesse caso é um choque térmico. Afinal, sair de um lugar refrigerado direto para um ambiente contrário disso, não faz bem a nenhum organismo.

Para evitar que isso aconteça, deve-se procurar desligar o condicionador de ar algum tempo antes da criança se retirar do quarto. Assim, os climas entre os ambientes se igualam e o corpo da criança não precisa enfrentar uma mudança brusca de temperatura.

E para facilitar mais ainda esse processo, o ar-condicionado em quartos de criança deve estar sempre a uma temperatura entre 22 e 26 graus Celsius.

 

Agora que você já sabe que a maioria das afirmações sobre esse aparelho não passam de mitos, que tal conhecer a nossa sessão específica de ares-condicionados para crianças?  Nos vemos no próximo post!

Posts Relacionados

CONTEÚDOS GRATUITOS
Coloque seu e-mail abaixo para receber gratuitamente mais conteúdos como este!

Digite seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *